italy-4090933_1280

16 curiosidades sobre a região da Ligúria

Ligúria é sinônimo de mar, montanhas, bom vinho, excelente comida, história e charme. Uma simples faixa de terra cercada pelas montanhas e pelo azul profundo do mar, a Ligúria nos maravilha com seus incríveis parques naturais e uma ampla variedade de paisagens impressionantes e lugares curiosos para descobrir.

1. A Ligúria é uma das menores regiões da Itália

Mapa da Liguria

Cobrindo uma área de 5.420 km2, a Ligúria, cuja capital é Gênova, é a terceira menor região da Itália (fica atrás apenas do Vale d’Aosta e do Molise). No entanto, como diz o ditado, os melhores perfumes estão nos pequenos frascos e este é certamente o caso desta região linda.

Além disso, a Ligúria divise-se em 4 províncias: Gênova, Savona, Impéria e La Spezia.

2. Faz fronteira com a França

Fronteira entre Itália e França em Ventimiglia
Fronteira entre Itália e França em Ventimiglia

Se você olhar o mapa da Itália, verá que a Ligúria faz fronteira com a França. De um lado está a cidade de Ventimiglia e do outro, Menton, hoje cidade francesa, mas que antigamente fazia parte da República de Gênova.

3. É na Ligúria que ficam as Cinque Terre

Sem dúvida, uma das atrações mais famosas da Itália são as Cinque Terre (cinco terras), isto é, cinco pequenos vilarejos: Corniglia, Manarola, Monterosso al Mare, Riomaggiore e Vernazza. E elas ficam na Ligúria!

Durante anos, cada uma dessas comunidades permaneceu praticamente intocada pelo turismo, tornando-as alguns dos locais mais autênticos para visitar na região. Mas hoje em dia recebem turistas do mundo inteiro, tornando-se uma das metas mais procuradas da Itália.

4. Uma das Repúblicas Marítimas da Itália

Bandeira da República de Gênova, com a cruz de São Jorge. Ela continua sendo a bandeira de Gênova.

Nos séculos IX e X, as costas da Europa Mediterrânea, em particular a Itália, estavam sob constante ataque de invasores e piratas muçulmanos. Assim, para se defender dessas ameaças, as cidades da Itália começaram a desenvolver marinhas poderosas.

As 4 Repúbicas Marítimas mais potentes e importantes eram Amalfi, Pisa, Gênova e Veneza. A República Marírima de Gênova foi a terceira a se estabelecer, e a partir do século X ficou famosa pela Compagna, uma grande associação de comerciantes e marinheiros que governavam a cidade e administravam os bens do Conselho. Após a batalha contra Pisa, no século XIII, tornou-se a maior potência do mar Tirreno e do Mediterrâneo ocidental. Mas a rivalidade com Veneza marcou seu fim no século XIV: após quase 200 anos de guerra, Gênova foi forçada a reconhecer a supremacia de Veneza.

5. Tem o maior porto da Itália

Com seus 700 hm² de área no solo e 22 km de docas, o Porto de Gênova é o maior porto da Itália no que diz respeito às dimensões. É em Gênova que ficam as sedes dos grandes construtores navais italianos.

O porto de Gênova tem uma grande relevância já desde o século XII, quando as rotas comerciais no Mar Mediterrâneo cresceram e a cidade se tornou uma potência no comércio de itens de luxo vindos do Oriente.

6. E também o maior Aquário

o que ver em Genova

Inaugurado em 1992, o Aquário de Gênova é o maior aquário da Itália e o segundo maior da Europa. Com seus 70 tanques e cerca de 15.000 animais de mais de 600 espécies diferentes, a estrutura reproduz ambientes marinhos de importância excepcional, como os do Mar Vermelho, do Mediterrâneo e do Oceano Pacífico. O projeto tem a assinatura oficial do arquiteto Renzo Piano.

Quer visitar o Aquário de Gênova? Então não deixe de ver essas dicas práticas para visitá-lo.

7. É possível observar baleias

A costa da Ligúria é o lar de várias espécies aquáticas, das quais as mais comuns são as baleias cachalote. Para muitos amantes da vida selvagem, a observação de baleias é uma atividade única na vida que não deve ser desperdiçada.

De fato, os visitantes podem fazer passeios de barco a partir de vários lugares para observar os cetáceos.

8. Sua capital é tutelada pela Unesco

Passeios em Gênova

O centro histórico de Gênova é lugar de esplêndidos tesouros históricos, artísticos e arquitetônicos. Embora os novos edifícios tenham acrescentado um toque contemporâneo, grande parte da cidade ainda é constituída por edifícios antigos e monumentos valorizados tanto por moradores quanto por visitantes.

Um desses lugares é Strade Nuove, uma área antiga onde ficam os Palazzi dei Rolli, um grupo de residências históricas construídas ao longo dos séculos XVI, XVII e XVIII e inseridos na lista de Patrimônios da Humanidade da Unesco.

Esses palácios, com sua elegância, representavam a grandeza de Gênova aos olhos do mundo e faziam parte dos registros da cidade (os rolli) através dos quais as residências eram escolhidas onde hospedar os ilustres convidados em visita de estado.

Não perca: Passeios em Gênova

9. A Ligúria é a pátria do pesto!

Pesto da Liguria
Você encontrará pesto de manjericão fresco e artesanal sendo vendido por todos os cantos da Liguria!

A Ligúria, mais especificamente Gênova, é a pátria do pesto de manjericão, o famoso pesto genovese. O nome deste molho deriva do método de preparação original: o esmagamento (em italiano o verbo pestare significa pisar, esmagar) das folhas e outros ingredientes no tradicional pilão de mármore.

O pesto em sí tem origens no Império Romano, mas a receita original do pesto genovese remonta à segunda metade do século XIX, obra de Giovanni Battista Ratto que o descreveu em seu livro de receitas denominado La cuciniera Genovese.

10. Cristóvão Colombo nasceu na Ligúria!

Casa de Cristovao Colombo

Você sabia que o grande navegador nasceu em Gênova? Há documentos que atestam que ele nasceu na capital da Ligúria, em 1451.

Embora existam várias teorias sobre o local de nascimento de Colombo (há quem diga que ele era catalão, outros juram que ele era português), graças a um ato notarial, ao testamento e a uma troca de cartas entre banqueiros de Gênova e Colombo, pode-se afirmar que ele realmente nasceu em Gênova.

Enfim, próximo à Porta Soprana, em Gênova, nos arredores das antigas muralhas medievais, fica a chamada Casa de Cristóvão Colombo. É, provavelmente, uma reconstrução, datada do século XVIII, do edifício medieval original, no qual o descobridor das Américas viveu em sua juventude.

11. E o jeans também!

Sim, eu sei que parece estranho, mas é verdade! Certamente você está pensando na Levi Strauss & Co, Lee e Wrangler, que são todas marcas americanas e históricas. No entanto, o jeans tem origens na Ligúria.

A primeira menção ao tecido remonta ao século XVI, na cidade de Gênova, mais precisamente no porto antigo. De fato, essa tela azul foi criada e usada para a fabricação de velas de navios e lonas, pois é muito resistente, durável e facilmente lavável.

Por outro lado, o termo “jeans” apareceu pela primeira vez em 1795, quando um banqueiro suíço chamado Jean-Gabriel Eynard e seu irmão Jacques foram para Gênova e começaram um comércio de tecido. Posteriormente, em 1800, as tropas de Massena entraram na cidade e Jean-Gabriel foi encarregado de seu suprimento. Em particular, ele lhes forneceu uniformes realizados com um tecido azul chamado “bleu de Genes”, de onde mais tarde deriva a famosa roupa conhecida mundialmente como “Blue Jeans”.

Uma curiosidade: As primeiras cidades onde o tecido jeans foi produzido foram Gênova e Nîmes, na França. Em Nîmes, os franceses tentaram reproduzir o mesmo tecido produzido em Gênova, mas ao invés disso eles desenvolveram um tecido diferente, apesar de bastante semelhante. Tornou-se conhecido como “denim”, palavra que que vem do francês “de Nîmes”.

12. É na Ligúria que acontece o Festival de Sanremo

É na Ligúria que acontece o Festival de Sanremo, sem dúvida o mais famoso festival de música italiano. Ele acontece todos os anos, desde 1951, e já revelou ao mundo artistas que se tornaram famosos mundialmente, como Andrea Bocelli e Laura Pausini. Além disso, também já participaram do Festival de Sanremo artistas brasileiros, como Toquinho e Roberto Carlos, sendo este o único brasileiro a vencer o festival, no ano de 1968, com a música Canzone per Te.

13. Um Cristo no fundo do mar

No fundo do mar  de San Fruttuoso, entre Camogli e Portofino, no silêncio do mar profundo, há uma figura mística com os braços erguidos em sinal de invocação, uma grande estátua de bronze de Cristo.

O “Cristo do Abismo” é uma estátua de 2,5m de altura feita por Guido Galletti e colocada no fundo do mar como uma homenagem a Dario Gonzatti, o primeiro italiano a usar equipamento de mergulho e a todos que perderam a vida mergulhando. Foi instalado a 17m de profundidade, em agosto de 1954.

Hoje em dia, mergulhar para observar o Cristo é uma das excursões mais famosas da costa da Ligúria.

14. Riviera dei Fiori, um litoral que é um inteiro jardim

Ventimiglia, Liguria

Antes de mais nada, a chamada Riviera dei Fiori, na Ligúria, é o trecho de litoral que se estende por cerca de 80km, de Andora até a fronteira com a França, em Ventimiglia. Em suma, corresponde exatamente às fronteiras da província de Impéria.

A área, especialmente a cidade de Sanremo, é conhecida pela produção de flores, daí o nome que a caracteriza. As principais cidades são Bordighera, Imperia, Ospedaletti, Sanremo, Taggia e Ventimiglia. Neste trecho fino de terra, se passa das montanhas ao mar, das colinas verdejantes aos vales com seus bosques, às baías e enseadas que se alternam com praias lindíssimas.

15. A Ligúria produz “as melhores azeitonas do mundo”

azeitonas da Liguria

As azeitonas da variedade “Taggiasca” são provenientes da Liguria. De fato, elas são produzidas na província de Impéria, que é onde fica o município de Taggia, lugar onde começou o cultivo das mesmas. Elas são consideradas por muitos as melhores azeitonas do mundo, por causa do seu sabor é único, sendo ao mesmo tempo, doce e decisivo.

Além disso, o azeite produzido com este tipo de azeitona é bastante valioso e tem qualidades organolépticas excelentes, superiores a outros tipos produzidos na Itália. Com as azeitonas Taggiasca a Ligúria produz o azeite Riviera Ligure DOP.

16. Um vinho único produzido por “viticultores heróicos”

vinho sciacchetra

A Liguria é o lugar de produção de um vinho muito peculiar, o Sciacchetrà (pronuncia ‘Xaquetrá’). Em síntese, é um vinho licoroso produzido a partir das uvas que crescem nas colinas íngremes de Cinque Terre. Além disso, o cultivo dessas vinhas é tão difícil que os fabricantes de Sciacchetrà são chamados “viticultores heróicos”.

Enfim, o verdadeiro e autêntico Sciacchetrà só pode ser produzido em alguns municípios da província de La Spezia e a maioria dos produtores está concentrada nos vilarejos de Cinque Terre. O Sciacchetrà foi reconhecido como um vinho DOC (Denominazione di Origine Controllata).

Gostou? Então compartilha!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.